Você está em »» Principal » Consistório

 

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Usuários online

3 usuário(s) online (2 usuário(s) navegando na seção: Consistório)

Usuários: 0
Visitantes: 3

mais...

Consitório

 PÁGINA PRINCIPAL - Consistório de Príncipes do Real Segredo.
 
 
Magnífico Consistório de Príncipes do Real Segredo Firmeza e União
Dourados - MS
 
Fundado em 03 de Dezembro de 2008.

Em Direito Canônico, consistório é uma “reunião” solene de Cardeais, convocada e presidida pelo Romano Pontífice (Papa), para prestar-lhe assistência e colaboração no GOVERNO DA IGREJA.


Na Maçonaria, Consistório é um “corpo” filosófico onde os maçons se reúnem para cursar os 3 últimos graus do Rito Escocês Antigo e Aceito. Trata-se, então, de uma escola aonde os Maçons vão para concluir seus estudos.

 Parafraseando a Igreja, poderíamos dizer que, para nós, Consistório é um “corpo” solene de iniciados, convocado e presidido pelo seu presidente (Grão Mestre), para prestar assistência e colaboração no GOVERNO DA MAÇONARIA.

Em linguagem comum, indica o “lugar” onde se realiza alguma assembléia ou reunião. Por exemplo: salas de reuniões das irmandades.

Como reflexão, por analogia etimológica e semântica, o termo consistório pode ser correlacionado com “consistência” (solidez, coerência, congruência, estabilidade e subsistência): que consiste em... (em sentido figurado, consistência se relaciona também com constância e perseverança), que são atributos da “consciência” (intelecto, inteligência, razão, conhecimento): que tem consciência de... (em sentido figurado, consciência se relaciona também com conhecer e saber).


Todas essas concepções, juntas, convergem para um mesmo ponto: pessoas reunidas para compreender situações, tomar decisões e fazer encaminhamentos (ou seja: preparar-se ou preparar alguém para agir).


Como os Cardeais, os Maçons chegam ao Consistório onde e quando recebem como missão a INSTRUÇÃO (voltar para suas origens e ajudar a outros a fazer progresso na Maçonaria até chegarem também ao Consistório).

Os Cardeais voltam para seus países e ajudam na administração das igrejas e, os Inspetores, voltam para suas Lojas Simbólicas e Corpos Filosóficos e ajudam na administração do Rito Escocês Antigo e Aceito.

A MENTE É UM CONSISTÓRIO


A consciência humana se formou como resultado de dois processos de evolução: um biológico e, outro, educacional! A base biológica da consciência (cérebro) começou apenas como uma célula nervosa e evoluiu para bilhões de neurônios reunidos e unidos dentro da cabeça humana. A base educacional da consciência (intelecto) começou com uma primeira percepção e evoluiu para bilhões de conhecimentos apreendidos dentro da memória humana.


Com o advento da consciência individual, o homem descobriu a sua capacidade global de construção, de transformação e, até mesmo, de destruição!


Com o despertar da consciência coletiva, a humanidade passou a se sentir muito sozinha: isolada na imensidão do universo e, até mesmo, solitária dentro de sua própria casa! Muito se fala na “luz da consciência”! Esse clarão é a “inteligência” que vem da quantidade e qualidade dos conhecimentos aprendidos ao longo da existência! No entanto, no início da vida, logo após o nascimento, a mente humana é totalmente vazia de conhecimentos. Ela “ignora” tudo! Então, no começo eram só trevas, ou seja: ignorância! Porém, não pode continuar assim! Atualmente, no mundo em que vivemos, a principal causa de sofrimento e miséria é o resquício de “ignorância” que permanece em nossa consciência. E Não podemos esquecer que o preconceito é filho da ignorância e pai da estupidez!


Na tentativa de fugir das trevas da ignorância, o ser humano sempre procura respostas acessíveis, imediatas, externas, históricas... Mas, nem mesmo a ciência, encontra respostas para todas as dúvidas da mente humana. Sempre restam dúvidas! A realidade é relativa e, a relatividade, é científica! Nossas observações e conclusões nunca são definitivas: pode ser que seja, pode ser que não seja!


Em determinadas condições “é assim”! Mas, em outras circunstâncias “não é bem assim”! Deus, então, é a resposta para as questões transcendentais! Foi Deus que criou! O ser, a verdade, o bem e outras “coisas”... Tudo criação divina! A consciência nos aponta os conhecimentos já adquiridos através da pesquisa, do estudo e da experiência! E nós, Maçons, como filósofos que somos, temos a missão de pensar, sentir e praticar os comportamentos resultantes de nossos pensamentos e sentimentos: é o exercício de nossos talentos maçônicos!




 A MAÇONARIA É UM CONSISTÓRIO


A Maçonaria também é assim: uma grande jornada evolutiva que começa na “iniciação” e progride até o topo do consistório! Mas, devemos entender que não existe uma luz acesa no Consistório esperando os Maçons! Mais do que uma busca em si, é o caminho ao longo do qual vivenciamos o processo de construção da iluminação.


Já chegamos, no topo, iluminados! Na magnífica ideia construída a partir do sonho de Jacó (anjos subindo e descendo numa escada) encontramos explicação para o verdadeiro significado do “fazer progresso na Maçonaria” por meio de estudos efetuados ao longo dos 33 graus do REAA: os Maçons, ao longo da subida, processam energias para a produção de luz! É o aprendizado que nos torna maçons iluminados!


Subimos para aprender e, agora, vamos descer para instruir! Subindo colhemos o que outros plantaram! Descendo vamos semear, para que outros, subindo, colham o que nós plantamos!



Vejamos:
(1) o pensamento filosófico da Loja de Perfeição, é focado no conhecimento;
(2) a sensibilidade afetiva do Cavaleiro Rosa Cruz, é centralizado no amor; e
(3) o trabalho produtivo do Conselho de Kadosh, é envolvido na ação.


 

E o Consistório?


A consistência é abrangente: engloba os três domínios da consciência humana: cognitivo (poder do pensamento); afetivo (poder do sentimento); e motor (poder do comportamento).

Em suma, envolve a um só tempo, o conhecimento (inteligência), amor (sabedoria) e ação (talento).


Todos juntos e consistentes: consciência maçônica, ou seja: consistório! Podemos concluir que, na Maçonaria, o “consistório” “consiste” em promover oportunidades e propiciar condições para pesquisa, estudo e prática da congruência nos pensamentos, da solidez nos sentimentos e da disponibilidade dos talentos do verdadeiro Maçom a serviço do bem. E, assim sendo, com a pessoa no Topo da Consciência e o Maçom no Topo do Consistório, mesmo sem ainda ter chegado ao Topo da Escada de Jacó, como produto da Inteligência, Força e Beleza, o Templo Interior continua a ser construído de forma “consistente” no “Consistório” da vida maçônica​;


 

 

  DELEGACIA "F"  - Magnífico Consistório de Príncipes do Real Segredo

 
MCPRS Firmeza e União
 
Delegacia "F" 
Corpos subordinados de Dourados
Inspetoria Litúrgica do Estado de Mato Grosso do Sul.
Rua Esei Fujinaka, 705 - Altos do Indaiá - Caixa Postal nº 300 - CEP 79.823-500 - Dourados MS -MAPA

Pesquisa